arrow_back

Resultado da busca por: "Williams"

Como eram alguns atores de Top Gun no primeiro filme e como eles estão hoje

Os atores de Top Gun fizeram um excelente trabalho no primeiro filme e o segundo filme está fazendo um sucesso absurdo também.


O fato é que todo mundo muda ao longo do tempo e com eles não é diferente, então, veja como eles ficaram.


Pete “Maverick” Mitchell — Tom Cruise





Nick “Goose” Bradshaw — Anthony Edwards



Charlotte “Charlie” Blackwood — Kelly McGillis



Tom “Iceman” Kazansky — Val Kilmer



Mike “Viper” Metcalf — Tom Skerritt



Carol Bradshaw — Meg Ryan



Rick “Jester” Heatherly — Michael Ironside



Bill “Cougar” Cortell — John Stockwell



Sam “Merlin” Wells — Tim Robbins



Ron “Slider” Kerner — Rick Rossovich



Leonard “Wolfman” Wolfe — Barry Tubb



Tom “Stinger” Jordan — James Tolkan



Marcus “Sundown” Williams — Clarence Gilyard Jr.






O post Como eram alguns atores de Top Gun no primeiro filme e como eles estão hoje apareceu primeiro em O Macho Alpha.

10 dos cabelos mais estilosos da Fórmula 1

A Fórmula 1 conta com alguns dos caras mais arrojados da história e é um fato que os pilotos não possuem muito tempo para trabalhar a imagem deles no dia a dia, uma vez que eles gostam de fazer tudo muito rápido.


Apesar disso, alguns pilotos famosos decidiram cuidar bem da gadeia para aparecer bem antes e depois das corridas.

Os fãs que gostam de ficar parecidos com seus ídolos agradecem e a história ganha ídolos mais estilosos.


10 . Harald Ertl


Harald Ertlr foi um piloto que correu pouco na Fórmula 1, tendo provavelmente como maior feito na categoria ter ajudado a salvar Niki Lauda no Grande Prêmio da Alemanha de 1976.


cabelos mais estilosos da Fórmula 1


É fato que Harald não tem lá o que se possa chamar de cabelo mais estiloso do mundo, mas ele está nesta décima posição por ter um dos bigodes mais maneiros da história da F1, digno de Leôncio do Pica-Pau.


O piloto que correu algumas vezes na década de 70 e início de 80 na categoria morreu muito cedo, aos 33 anos, em um acidente de avião onde sua esposa Vera e seu filho Sebastian, de apenas dois anos, milagrosamente sobreviveram.


09 . Nelson Piquet


Um dos tri-campeões brasileiros, Nelson Piquet, tinha uma vasta cabeleira no estilo Strokes.



Eu não sei se a lata ajuda, mas ele sempre disse que gosta muito de mulher bonita e acredito que elas também gostavam dele, afinal, Kelly Piquet, sua filha, é uma mulher maravilhosa.


08 . Antonio Giovinazzi


Dono de uma vasta cabeleira, Giovinazzi abandonou a categoria de elite do automobilismo, mas não abandonou o estilo e ainda carrega uma vasta cabeleira que às vezes precisa virar o famoso coque samurai.



07 . Jacques Villeneuve


Jacques é filho do lendário Gilles Villeneuve, mas, diferente do seu pai, Jacques foi campeão da F1 em 1997. Além disso, Jacques também foi campeão na Fórmula Indy no ano de 1995, tendo sido um dos poucos pilotos a ser campeões na Fórmula 1 e na Indy.



Como você pode ver acima, o último campeão pela Williams ostentou o platinado (mais pro amarelado) antes de ser moda.


06 . Alain Prost


Prost foi um dos maiores pilotos da história da F1, tinha o estilo de poupar o carro para se aproveitar dos erros e das quebras alheias, um verdadeiro estrategista que conseguia grandes feitos trabalhando desta forma.


Prost tem aquele cabelo largadão e encaracolado, um estilo muito comum aqui no nosso Brasil que acompanha o tetracampeão até hoje.



Em uma entrevista, Piquet falou o seguinte sobre o francês: “Era um cara que aparentemente era muito feio, então, ele ficava amigo do cara pra comer a mulher do cara”.


Um predador nas pistas e fora delas.


05 . Lewis Hamilton


O sete vezes campeão Lewis Hamilton foi o primeiro piloto a usar tranças afro no grid e todo mundo sabe que ele cuida do estilo não só no cabelo, mas nas roupas e tatuagens.



04 . Emerson Fittipaldi


Emerson era amigo pessoal do beatle George Harrison, o que deve ter influenciado nas suas enormes costeletas.



Convenhamos que o cabelo dele era tão estiloso quanto ele foi importante para F1 e para os esportes a motor no Brasil, ou seja, MUITO!


03 . Ayrton Senna


O nosso enerto Ayrton Senna foi um dos maiores pilotos da história, não só do nosso Brasil, mas do mundo, estimulando e incentivando jovens pilotos desde a sua entrada na F1.



Ayrton era daqueles caras que tinham cabelos milimetricamente mal penteados, mas a gente tem a certeza de que não tinha como deixar esse cabelo de vocalista de banda indie sem um pente ou uma escova.


02 . Franc?ois Cevert


Cevert morreu de uma forma absolutamente trágica, mas as fotos que ficaram mostram um cabelo extremamente elegante e estiloso.



01 . James Hunt


É bem provável que você discorde do primeiro lugar desta lista, afinal, ele tinha o cabelo engraçado do He-Man, mas o fato é que James Hunt tinha sim uma cabeleira diferenciada e estilosa.



Ademais, o comportamento de Hunt fora das pistas é extremamente engraçado e divertido.


O post 10 dos cabelos mais estilosos da Fórmula 1 apareceu primeiro em O Macho Alpha.

AIRBNB oferece casas próximas às gravações do filme de terror Pânico

Se você costuma usar AIRBNB e está nos Estados Unidos, pode curtir uma noite de terror na Califórnia, nas proximidades de onde gravaram a sequência de Pânico.


Em homenagem ao 25º aniversário de Pânico e ao próximo filme da série, que estreia no Brasil dia 13 de janeiro de 2022, a Paramount Pictures, em parceria com o Airbnb, criou o AIRBNB DE PÂNICO, com hospedagens no norte da Califórnia nas noites próximas àquelas em que os terrores de Ghostface começaram.



Para quem não está nos Estados Unidos e gostaria de participar, a Paramount oferecerá mundialmente uma experiência online com o roteirista e produtor da série de filmes, Kevin Williamson, que incluirá:


– Uma hora de experiência online de Pânico, via Zoom, para 10 convidados;


– Segredos dos bastidores do primeiro filme Pânico e histórias de Williamson sobre o set do novo filme.


Pânico


A Casa de Pânico no AIRBNB


Os hóspedes serão instantaneamente transportados para a cidade de Woodsboro e todas as desgraças que acontecem lá – e até quatro convidados poderão passar a noite na cidade (se tiverem coragem, é claro). Ghostface voltou para aterrorizar a cidade, então será preciso ter cuidado para evitar quaisquer encontros com ele.


 


As almas corajosas que pretendem passar uma noite na casa de Pânico experimentarão todos os elementos mais assustadores do filme na casa onde os momentos mais emocionantes e cheios de suspense do primeiro filme aconteceram, incluindo:


– Uma saudação virtual do Xerife Dewey no check-in (contanto que o Ghostface não o pegue primeiro).


Xerife Dewey também envelheceu


– A chance de explorar a casa Pânico em toda a sua glória original, desde as marcas de faca nas portas até a garagem onde Tatum, irmã do Xerife, conheceu a morte.


– Uma maratona de filmes com todos os quatro capítulos de Pânico (em VHS, é claro, afinal, tem muita nostalgia aqui) para se atualizar antes do lançamento do próximo filme, em janeiro.


– Uma linha telefônica exclusiva para entrar em contato diretamente com Ghostface – mas cuidado, ele pode ligar para a casa também.


– Petiscos favoritos clássicos dos anos 90, como Jiffy Pop, sorvetes e pizza.


– A chance de levar para casa souvenirs exclusivos da série Pânico, incluindo um pack de DVDs dos primeiros quatro filmes, uniformes da Woodsboro High, pôsteres do filme Pânico (de 2022) e muito mais.


Quer você goste de fortes emoções ou seja apenas um fanático por filmes de terror, prepare-se para uma festa do pijama única, comemorando o aniversário de 25 anos de Pânico. E não se esqueça de acompanhar o Xerife e todo o elenco no próximo filme, nos cinemas de todo o Brasil a partir de 13 de janeiro de 2022.


 


 





O post AIRBNB oferece casas próximas às gravações do filme de terror Pânico apareceu primeiro em O Macho Alpha.

Mais 10 dos mais terríveis acidentes da Fórmula 1

Alguns terríveis acidentes da Fórmula 1 ficaram para a história e decidimos fazer mais uma série de 10 acidentes que marcaram a categoria.


10 . Rubens Barrichello, em Imola


terríveis acidentes da Fórmula 1


Em um dos finais de semana mais macabros da história da Fórmula 1, Rubens Barrichello participou de um milagre.


Vindo de bons resultados, vice-líder do campeonato e totalmente motivado, Barrichello chegou rápido demais na Variante Baixa, levantando voo ao tocar na zebra, batendo forte nos pneus, capotando e parando praticamente de ponta-cabeça.


Os fiscais de prova chegaram rápido e viraram o carro, evidenciando que Rubens Barrichello estava inconsciente, afinal, sua cabeça balançou fortemente e bateu na borda do cockpit.


Ele foi atendido pelo experiente Sid Watkins, que falou ao brasileiro que ele morreu por 6 minutos, tendo engolido a própria língua por causa do impacto de 60Gs, o equivalente a 6 toneladas e meia.


Apesar da violência gráfica do acidente, Rubinho “só” luxou uma costela e teve uma pequena fratura no nariz.


09 . Mika Hakkinen, em Adelaide



Hakkinen ficou em quarto lugar no primeiro treino livre do circuito de Adelaide, onde o grid era decidido depois de duas sessões, uma na sexta e a outra no sábado.


Na sua primeira volta lançada, Mika Hakkinen iniciou o que seria o pior acidente de sua carreira, quando o pneu esquerdo traseiro de sua McLaren estourou na curva Brewery.


O carro descontrolado do finlandês decolou numa zebra alta que demarcava a parte externa da entrada da reta, permaneceu rodando e bateu numa barreira de pneus.


A cabeça de Mika Hakkinen chacoalhou várias vezes antes de bater com violência assustadora no volante.


Hakkinen fraturou o crânio, teve hemorragia interna e um bloqueio das vias aéreas que exigiu uma cirurgia de emergência na pista para permitir que ele respirasse.


Ele foi colocado em coma induzido e operado para drenar a hemorragia que podia provocar pressão intracraniana, mas depois que acordou, não teve vida fácil, ficando por 2 meses no hospital tendo uma rotina cruel de recuperação baseada em remédios, cirurgias e testes que, no final das contas, o deixaram sem nenhuma sequela.


Em 1998 e 1999 ele sagrou-se bi-campeão da F1.


08 . Roland Ratzenberger, em Ímola



Ratzenberger vinha a mais de 300km/h na curva Villeneuve durante os treinos classificatórios para o GP de San Marino quando a asa dianteira de sua Simtek soltou-se abruptamente.


Roland Ratzenberger atingiu o muro a 314,9 km/h com uma violência que custou sua vida, pois o acidente provocou fraturas múltiplas no crânio e no pescoço do piloto.


Segundo a FIA, o piloto só morreu ao chegar no hospital Maggiore de Bolonha, mas investigadores afirmaram que o piloto faleceu dentro do circuito, situação que cancelaria a prova, pois as leis italianas preveem que se um piloto morre durante um evento esportivo, é necessário cancelar a prova para promover investigações.


Como a prova não foi cancelada, Ayrton Senna participou dela e morreu tragicamente chocando-se contra o muro na famosa curva Tamburello.


07 . Riccardo Paletti, em Montreal



O grande sonho de Riccardo Paletti era o de pilotar na Fórmula 1, sonho este que foi abreviado muito cedo.


Com o patrocínio da Pioneer, o piloto nascido em 1958 conquistou uma vaga numa pequena equipe italiana chamada Osella, equipe pela qual ele largou no Grande Prêmio do Canadá no dia 13 de junho de 1982.


Os olhos do mundo naquele momento estavam voltados para a Copa do Mundo na Espanha e o ânimo do autódromo não era dos melhores, afinal, Gilles Villeneuve passava a dar o nome do autódromo de Montreal naquele dia, pois tinha morrido recentemente num acidente na Bélgica um mês antes.


Didier Pironi, que conseguiu a pole position naquele dia, deixou a sua Ferrari morrer por conta da demora para o acendimento das luzes vermelhas e verdes. Ele tentou desesperadamente avisar a organização da prova que seu carro não estava pronto para a largada, mas foi ignorado.


Com a largada autorizada, quem vinha atrás desviou do jeito que deu, mas Raul Boesel atingiu as rodas de Pironi, assim como Eliseo Salazar e Jochen Mass que entraram na bagunça.


Paletti estava a 150 km/h e bateu de frente com Pironi, fazendo com que sua Osella fosse compactada, esmagando seu tórax. Pironi tentou ajudar Paletti, mas o carro do italiano explodiu em chamas.


Corajoso, Pironi ajudou os bombeiros a apagar o fogo da Osella.


Os resgatistas demoraram 25 minutos para tirar Riccardo Paletti das ferragens e o levaram de helicóptero para o hospital, onde já chegou morto, 2 dias antes de completar 24 anos.


06 . Elio de Angelis, em Castellet



Elio de Angelis pilotava sua Brabham-BMW de 1986, o BT55 Skate, no circuito Paul Ricard, quando a asa traseira do carro soltou enquanto ele estava em altíssima velocidade.


O carro com design bastante radical, com um assento extremamente baixo, perdeu tração traseira, capotou sobre uma barreira e pegou fogo.


De Angelis ficou preso dentro das ferragens do carro enquanto era asfixiado pelo gás que o fogo provocava, tendo sido prejudicado pela falta de fiscais na pista e a demora do helicóptero que o resgatou.


Apesar do fogo, o italiano teve “apenas” uma clavícula quebrada e queimaduras leves nas costas, mas a fumaça o prejudicou muito, provocando sua morte no hospital de Marselha 29 horas depois.


Seu lugar na equipe Brabham foi ocupado por Derek Warwick, pois o inglês foi o único piloto desempregado que não ligou imediatamente para Ecclestone, perguntando se havia vaga após a morte de Elio de Angelis.


05 . Roger Williamson, em Zandvoort



Jackie Stewart dizia que correr em Zandvoort era como andar numa corda bamba sobre uma banheira de gasolina com um charuto aceso.


O Grande Prêmio dos Países Baixos era extremamente inseguro e ficou fora do calendário em 1972 para reformas nas barreiras e áreas de escape.


No ano seguinte, em 29 de julho de 1973, Emerson Fittipaldi abandonava a corrida por não aguentar as fortes dores que desenvolveu após um acidente que sofreu nos treinos do dia anterior, mas Williamson, que largou em 18º seguia seu rumo em uma boa corrida para ele, onde pulou para 13º lugar logo nas primeiras voltas e aventou a hipótese de estar entre os 10 primeiros colocados.


Um pneu traseiro estourando no “S” de alta velocidade de Hondevlak destruiria não apenas seus sonhos, mas também sua vida.


A explosão provocada pelo pneu da March fez com que ele batesse no guard rail, virasse, se arrastasse pela pista e prendesse o piloto dentro do cockpit.


David Purley, que vinha logo atrás, parou seu carro para tentar desvirar o carro de Williamson, mas sem sucesso. Um único fiscal de pista chegou com um extintor para acabar com as chamas, mas era muito pouco. Purley pegou o extintor das mãos do fiscal para tentar apagar as chamas enquanto Williamson gritava por socorro, mas foi inútil e ele decidiu acenar para que os outros pilotos parassem, também sem obter sucesso.


Uma infeliz decisão do diretor de prova foi decisiva para a morte de Williamson.


Ao ver um piloto de capacete na pista, ele decidiu por não chamar auxílio de bombeiros no momento, pois confundiu David Purley com Roger Williamson naquela hora.


Quando o caminhão de bombeiros chegou para apagar as chamas, era tarde demais. Williamson já estava morto por asfixia e seu colega, David Purley, permaneceu perambulando em volta do seu carro totalmente desnorteado.


Roger Williamson tinha apenas 25 anos.


04 . Jochen Rindt, em Monza



Emerson Fittipaldi foi incumbido de amaciar uma Lotus 72 novinha e entregá-la a Rindt, mas durante os treinos ele acabou perdendo o ponto de freada na Parabólica, atingiu outro carro e destruiu a máquina, por sorte, sem sofrer ferimentos.


Por este motivo, Jochen Rindt, aos 27 anos e líder absoluto no campeonato daquele ano, teve que correr com um carro bem rodado e que foi modificado nas asas dianteiras e traseiras, ganhando 800 giros e ficando mais veloz.


Nos treinos de sábado, na mesma curva em que Emerson Fittipaldi bateu, Jochen Rindt perdeu o controle do carro e bateu num guard rail mal instalado na área de escape.


Como ele utilizava o cinto de quatro pontos ao invés do cinto de cinco, tática adotada para facilitar a fuga do carro em caso de incêndio, ele “escorreu” para a parte da frente do cockpit e foi enforcado pelo cinto.


Apesar de ter sido resgatado rapidamente, nada pode ser feito.


Seu óbito foi confirmado mais tarde no Hospital La Guardia de Milão.


No GP dos Estados Unidos, em Watkins Glen, com o atraso do candidato ao título, Jacky Ickx nos boxes, a quebra do motor de Jackie Stewart e o reabastecimento de Pedro Rodriguez, Emerson Fittipaldi garantiu a dianteira da prova, dando a primeira vitória do Brasil na Fórmula 1 e o título póstumo a Jochen Rindt, situação que desejamos que nunca mais se repita na categoria.


03 . Martin Donnelly, no GP da Espanha



Um dos acidentes mais violentos já ocorridos na Fórmula 1 não foi filmado, mas as fotos e vídeos posteriores ao ocorrido são aterradoras.


No dia 28 de setembro de 1990 Donnelly pilotava sua Lotus-Lamborghini no circuito de Jerez de la Frontera, na Espanha, quando perdeu o controle na curva Ferrari e atingiu o guard rail.


O carro de Martin Donnelly partiu ao meio, fazendo com que o corpo do piloto voasse e caísse no meio da pista, com o piloto desacordado e as pernas trançadas.


Nelson Piquet, um dos maiores pilotos da história, vinha logo atrás e desviou a tempo de não atropelar o corpo estendido no chão.


O Doutor Sid Watkins, médico oficial da Fórmula 1, agiu rapidamente, ressuscitando Donnelly de uma parada cardíaca.


Ele teve traumatismo craniano, fraturas na perna direita, no fêmur da perna esquerda, na clavícula direita, na tíbia, na fíbula, lesões nos pulmões e também no pescoço.


Apesar da gravidade do acidente, depois de uma longa recuperação, ele voltou a trabalhar com o que amava, o automobilismo.


02 . François Cevert, em Watkins Glen



Em 6 de outubro de 1973 a carreira e os olhos azuis de François Cevert deixavam de brilhar.


O homem que era considerado um galã por muitas fãs da Fórmula 1 e que seria o substituto de Jackie Stewart como número 1 da equipe Tyrrell foi vítima de um guard rail mal montado em Watkins Glen.


Jack Stewart iria se aposentar após o final daquela corrida e passar o bastão para Cevert, um dos poucos que sabia que o tricampeão iria pendurar o volante.


Albert François Cevert Goldenberg perdeu o controle do carro em uma curva e avançou violentamente sobre um guard rail. O problema é que o guard rail estava sem uma das suas 3 partes naquela parte do circuito, justamente a de baixo, o que fez com que seu carro entrasse embaixo dos ferros, fazendo com que a parte de cima decepasse a cabeça do piloto e destruísse o restante do seu corpo, um acidente selvagem.


Emerson Fittipaldi, que viu o resultado do acidente, foi para os boxes inconsolável e Jackie Stewart, amigo de Cevert, abandonou as pistas naquele momento, não correndo pela centésima vez naquele final de semana.


01 . Helmuth Koinigg, em Watkins Glen



Um ano depois da trágica morte de Cevert, o mundo da Fórmula 1 seria assombrado novamente por uma morte trágica provocada por um guard rail.


A Surtees de Helmuth Koinigg perdeu o controle no mesmo local em que Cevert perdeu, entre as curvas 3 e 4, conhecidas como “The Esses”, fazendo que o piloto passasse reto até atingir um guard rail que o decapitou.


A cabeça do jovem de 25 anos foi encontrada alguns metros adiante.


O brasileiro Emerson Fittipaldi sagrou-se bi-campeão da categoria neste dia.


O post Mais 10 dos mais terríveis acidentes da Fórmula 1 apareceu primeiro em O Macho Alpha.

Jogos absurdamente bizarros para se divertir de forma duvidosa

O mundo dos videogames é capaz de abrigar títulos com as temáticas mais diversificadas e jogos como Free Fire, League of Legends, VALORANT, entre alguns outros sucessos do momento, contam com vários recursos que atraem um público estrondoso. Do outro lado da moeda, há aqueles jogos que apresentam uma mitologia própria, repleta de elementos inusitados, e que sinceramente não sabemos dizer se são bons ou ruins – talvez a melhor palavra para descrevê-los seria “peculiar”. 


Com propostas extremamente inusitadas, separamos alguns dos jogos mais peculiares que existem e que impressionam bastante, seja por sua jogabilidade ou missões. O único requisito é que haja alguma bizarrice neles. 


1 – I am Bread


Nesse game assumimos o controle de uma fatia de pão de forma. E mesmo com os controles um tanto complicados, o objetivo do jogo é simples: sair do ponto A para o ponto B. Ou seja, você precisa sair de cima de uma mesa para encontrar uma torradeira que assará a fatia de pão. I am Bread traz uma proposta bem diferente, e na época do seu lançamento (2015), fez bastante sucesso, principalmente entre os YouTubers.


2 – Goat Simulator


Lançado em 2014, esse é mais um título que agradou os criadores de conteúdo, que logo trataram de popularizá-lo. A proposta é que o jogador assuma o papel de uma cabra, e basicamente o usuário poderá chifrar, correr, lamber, e interagir com diversos objetos do cenário. 


Com um enredo bem humorado, o objetivo de Goat Simulator não é nada complicado: você deve tocar o terror na cidade. E a cada missão cumprida, o jogador recebe uma determinada quantidade de pontos que vai acumulando ao longo da jogatina. Mas caso tenha achado a premissa muito estranha e não queira incorporar uma cabra, há sempre a alternativa dos jogos clássicos em plataformas com bônus de cassino, que disponibilizam uma ampla variedade de títulos em um só lugar. 


3 – Surgeon Simulator


Esse game chegou ao mercado em 2013, e atualmente é multiplataformas. Nesse simulador criado pela Bossa Studios, a mesma desenvolvedora de I am Bread, o jogador precisará ter um estômago forte. Isso porque a proposta do título é te colocar numa sala de cirurgias, realizando várias operações para salvar a vida dos seus pacientes. Caso o paciente morra por conta de uma hemorragia, é game over. 


Dessa forma, o cirurgião (você) terá que aplicar anestesias, serrar ossos, pegar órgãos com as mãos e cortar tecidos. E mesmo com um certo apelo cômico e os gráficos não tão realistas, esse não é um título para pessoas sensíveis. 


4 – Tokyo Jungle


Todos os títulos citados até o momento foram desenvolvidos por produtoras indies, mas o Tokyo Jungle é diferente de qualquer um nesta lista, já que ele foi criado pela Sony e lançado ainda em 2012. O título tem um forte apelo ao multiplayer, onde o usuário deve escolher um animal e posteriormente fazer de tudo para sobreviver em um cenário pós-apocalíptico. Já no modo história, o player deve sobreviver e desenvolver suas habilidades para subir de nível na cadeia alimentar, caçando bichos menores enquanto evitar ser comido pelos predadores. Dessa forma, o jogador pode selecionar uma diversidade de animais, desde cachorrinhos a leões.


5 – Mister Mosquito


Lançado para PlayStation 2 em 2001, Mister Mosquito é um título que fez bastante sucesso no Japão antes de ser começar a ser distribuído para o resto do mundo. E fazendo jus ao seu nome, o jogador terá que controlar um mosquito, que tem como principal objetivo sugar o sangue dos membros da família Yamada, donos da casa onde vive. 


As missões do game vão sendo cumpridas conforme o pequeno mosquito consegue sugar e acumular sangue suficiente para sobreviver a um inverno rigoroso. E para chegar ao seu objetivo, o jogador precisará distrair os humanos, criando vários embustes como voar em direção aos interruptores para que eles apaguem as luzes.


6 – Who’s Your Daddy


Esse título foi desenvolvido e lançado em 2015 por Joe Williams, um programador norte-americano. O jogo é um multiplayer competitivo, onde ocorre um embate traseiro entre um um bebê sapeca e um pai distraído.  No enredo, o player que escolher o adulto deve evitar que a criança acabe sofrendo algum acidente doméstico, enquanto o jogador que controla o bebê vence a partida se conseguir encontrar algum jeito de se desvencilhar do pai e se acidentar de alguma maneira.

MAIS POSTS

Compartilhar

Escolha uma rede para compartilhar

Marcadores