arrow_back

Resultado da busca por: "tumor"

Cachorro chamado Wiggles ganha um lar após ficar 11 anos num abrigo para animais

Wiggles era animal feliz em seu abrigo em Godfrey, Illinois, ele tinha comida, um quintal espaçoso e um lugar quentinho para dormir.


Apesar da SRN de 14 anos estar feliz ali, faltava-lhe uma família para chamar de sua.


Wiggles


Isso mudou recentemente, pois ela foi adotada.


“Eles são perfeitos”, disse Karla Crane, uma treinadora de cães do abrigo de animais 5As, sobre a família adotiva. “Não poderíamos escolher alguém melhor.”


Wiggles enfrentou vários obstáculos para a adoção


Wiggles foi trazida para o abrigo 5As (Alton Area Animal Aid Association) em 2010, quando ela tinha 3 anos, disse Crane. Mas ela nem sempre foi amigável.


“Quando ela chegou, não era uma cachorrinha muito legal”, disse Crane.


Como ela era boazinha com humanos ou outros cães, ela foi esquecida para adoção.


Eventualmente, Wiggles ficou boazinha para pessoas. Mas outro obstáculo surgiu entre ela e seu lar definitivo.


Em 2016, Wiggles foi diagnosticada com um tumor benigno do tamanho de uma bola de golfe, disse Crane.


Nos últimos quatro anos, cresceu até o tamanho de um melão. O abrigo decidiu não operar o tumor porque é benigno e a cirurgia oferece risco, devido à idade de Wiggles.


Crane disse que as famílias hesitavam em adotar Wiggles por causa de seu tumor e por causa de alergias alimentares que geram despesas com medicamentos.


O abrigo forneceu a Wiggles tudo que ela precisava – medicamentos, alimentação especial e visitas ao veterinário – por mais de 10 anos.


Foi quando sua nova família apareceu.


Agora, Wiggles mora no Missouri com um casal que está ansioso para dar a ela tudo que ela precisa, disse Crane.


O casal havia perdido dois cães para o câncer antes de adotar Wiggles.


Crane disse que está em contato com a família desde a adoção. Desde que Wiggles voltou para casa com sua nova família, Crane disse que ela foi ao veterinário para examinar o seu tumor e fazer exames de sangue.


Medicamentos para artrite foram prescritos para o bichinho.


Crane disse que o tempo de Wiggles no abrigo, mesmo que longo, se encaixa no padrão que ela vê na adoção de cães.


“Se um cachorrinho chega, eles são adotados em um mês – às vezes em uma semana”, disse ela. “Cães mais velhos que entram… são eles que têm que ficar aqui até que encontremos uma família.”.


Segundo a CNN, o 5As é um abrigo que não sacrifica animais desde 1956. Crane disse que cada animal recebe tanta atenção pessoal quanto a equipe pode lhes dar.


“Sempre digo que há uma família para cada cachorro que temos aqui”, disse ela. “Mesmo aqueles que têm problemas.”.


O post Cachorro chamado Wiggles ganha um lar após ficar 11 anos num abrigo para animais apareceu primeiro em O Macho Alpha.

Conheça Adam Rainer, o único anão gigante da história!


 


Mais de uma vez eu vi alguém fazendo alguma piada com “anão gigante”  e sempre, no fundo da minha mente, eu pensava “Uhnn, teoricamente é possível … “.  E não é que temos um caso registrado?



Adam Rainer foi um austríaco nascido em Graz, no sul do país, em 1899. Pelo que consta nos registros, seus pais tinham estatura normal. Em 1917, quando completou 18 anos, Rainer se alistou no Exército (o Império Austro-Húngaro estava prestes a entrar em colapso com o fim da Primeira Guerra), mas foi dispensado por medir apenas  1,20 metros (algumas fontes dão alguns centímetros a mais, outras a menos, e algumas mostram que ele ENCOLHEU dos 18 anos para o ano seguinte. Aparentemente régua não era o forte dos austríacos). O fato é que, sob todas as medidas ele era considerado um anão. Ele é tratado assim no relatório médico que o dispensou da segunda tentativa de se alistar nas forças armadas. Esse relatório também menciona que, apesar de baixo, ele possuía mãos e pés notavelmente grandes. Quando ele tentou se alistar pela primeira vez, ele usava sapatos número 42!


 



 


Apesar de tudo, algo parece ter mudado quando Rainer atingiu os 21 anos. Ele ainda era pequeno, mas na idade em que as pessoas normalmente atingem o fim do crescimento, Rainer começou a crescer a um ritmo incrível e aos 32 anos ele media 2,18 metros. O crescimento foi tão rápido que seu corpo não foi capaz de sustentar a massa adicionada e Rainer, exausto, passava a maior parte do tempo na cama. Além da cada vez mais grave fraqueza, que lhe impedia até de comer, uma escoliose acentuada deformava seu corpo. Com o tempo ele também perdeu a visão do olho direito e ficou surdo do lado esquerdo.


Se você já assistiu ou leu Do Inferno (deveria), terá uma ideia de como a medicina do fim do século 19 tratava casos semelhantes. A suspeita é de que um tumor próximo da sua hipófise causou uma repentina e excessiva produção de hormônio de crescimento, o que hoje é chamado de acromegalia. O crescimento de outras extremidades, como testa, queixo, nariz e lábios, ajudam a corroborar a tese.


Baseado nessa suspeita e a fim de aliviar o sofrimento do paciente, em 1930 um neurocirurgião operou Rainer, inserindo instrumentos cirúrgicos no seu nariz e chegando até seu cérebro. De fato, o médico encontrou um adenoma de hipófise, um tumor benigno comprimindo sua glândula. Após a remoção do adenoma, o crescimento de Rainer desacelerou, mas os médicos consideraram a cirurgia um fracasso. O paciente continuou a crescer, embora mais lentamente, e sua coluna continuou a se deformar.


 



 


Adam Rainer passou o resto da sua vida com dores e fraco, incapaz de ficar de pé sozinho. Logo depois, ele foi internado em um asilo para idosos, onde morreu em 1950, aos 51 anos. Ele media 2,34 metros, o dobro do que ele media aos 19.


 


Assim terminava a infeliz vida do homem que em sua vida foi, ao mesmo tempo, o homem mais baixo e mais alto da Áustria.


 


Até hoje ele continua a ser o único caso documentado pela medicina de um anão gigante.

Conheça Adam Rainer, o único anão gigante da história!


 


Mais de uma vez eu vi alguém fazendo alguma piada com “anão gigante”  e sempre, no fundo da minha mente, eu pensava “Uhnn, teoricamente é possível … “.  E não é que temos um caso registrado?



Adam Rainer foi um austríaco nascido em Graz, no sul do país, em 1899. Pelo que consta nos registros, seus pais tinham estatura normal. Em 1917, quando completou 18 anos, Rainer se alistou no Exército (o Império Austro-Húngaro estava prestes a entrar em colapso com o fim da Primeira Guerra), mas foi dispensado por medir apenas  1,20 metros (algumas fontes dão alguns centímetros a mais, outras a menos, e algumas mostram que ele ENCOLHEU dos 18 anos para o ano seguinte. Aparentemente régua não era o forte dos austríacos). O fato é que, sob todas as medidas ele era considerado um anão. Ele é tratado assim no relatório médico que o dispensou da segunda tentativa de se alistar nas forças armadas. Esse relatório também menciona que, apesar de baixo, ele possuía mãos e pés notavelmente grandes. Quando ele tentou se alistar pela primeira vez, ele usava sapatos número 42!


 



 


Apesar de tudo, algo parece ter mudado quando Rainer atingiu os 21 anos. Ele ainda era pequeno, mas na idade em que as pessoas normalmente atingem o fim do crescimento, Rainer começou a crescer a um ritmo incrível e aos 32 anos ele media 2,18 metros. O crescimento foi tão rápido que seu corpo não foi capaz de sustentar a massa adicionada e Rainer, exausto, passava a maior parte do tempo na cama. Além da cada vez mais grave fraqueza, que lhe impedia até de comer, uma escoliose acentuada deformava seu corpo. Com o tempo ele também perdeu a visão do olho direito e ficou surdo do lado esquerdo.


Se você já assistiu ou leu Do Inferno (deveria), terá uma ideia de como a medicina do fim do século 19 tratava casos semelhantes. A suspeita é de que um tumor próximo da sua hipófise causou uma repentina e excessiva produção de hormônio de crescimento, o que hoje é chamado de acromegalia. O crescimento de outras extremidades, como testa, queixo, nariz e lábios, ajudam a corroborar a tese.


Baseado nessa suspeita e a fim de aliviar o sofrimento do paciente, em 1930 um neurocirurgião operou Rainer, inserindo instrumentos cirúrgicos no seu nariz e chegando até seu cérebro. De fato, o médico encontrou um adenoma de hipófise, um tumor benigno comprimindo sua glândula. Após a remoção do adenoma, o crescimento de Rainer desacelerou, mas os médicos consideraram a cirurgia um fracasso. O paciente continuou a crescer, embora mais lentamente, e sua coluna continuou a se deformar.


 



 


Adam Rainer passou o resto da sua vida com dores e fraco, incapaz de ficar de pé sozinho. Logo depois, ele foi internado em um asilo para idosos, onde morreu em 1950, aos 51 anos. Ele media 2,34 metros, o dobro do que ele media aos 19.


 


Assim terminava a infeliz vida do homem que em sua vida foi, ao mesmo tempo, o homem mais baixo e mais alto da Áustria.


 


Até hoje ele continua a ser o único caso documentado pela medicina de um anão gigante.

Mulher diagnosticada com tumor benigno descobre que na verdade passou um ano com um FILHOTE DE SOLITÁRIA SUGANDO O CÉREBRO DELA!

MAIS POSTS

Compartilhar

Escolha uma rede para compartilhar

Marcadores