arrow_back

Resultado da busca por: "SEDIAR"

Depois de Copa e Olimpíada, Rio poderá sediar próxima Guerra Mundial

Desde o último domingo a favela da Rocinha têm sido palco de disputas entre traficantes e operações policiais. Nos últimos dias os tiroteios se intensificaram em outras favelas, escolas foram fechadas, arrastões foram registrados e o governo do Estado pediu o envio do das Forças Armadas para a Rocinha. A prefeitura divulgou nesta manhã que os acontecimentos são um teaser da próxima Guerra Mundial, que será sediada pelo Rio de Janeiro.


De acordo com informações da Segurança Pública, a cidade foi escolhida junto a ONU como sede por já possuir a estrutura necessária para o evento. Outros estados entraram na disputa, mas desistiram após assistir as cenas de horror divulgadas pela mídia.


Os Estados Unidos e a Coreia do Norte estariam ambas negociando com o governador Luiz Fernando Pezão uma aliança com o Rio de Janeiro. De acordo com fontes internas, os dois países se assustaram com o que está acontecendo na Cidade Maravilhosa. Pezão ainda não se decidiu.





Verão faz aparição surpresa no Rio de Janeiro: ‘Vim para o Rock in Rio’



A poucos dias do fim do Inverno, o Verão desembarcou no Rio de Janeiro no início desta semana para uma visita surpresa. Com temperaturas próximas aos 30º e sensação térmica de 180º, a cidade sediará nos próximos dias o Rock in Rio e o calor absurdo. O Rock in Rio, de acordo com informações do próprio Verão, é o motivo da visita.


“Tô mais ansioso pelo show da Lady Gaga, do Justin Timberlake e do Red Hot Chili Peppers” disse em um vídeo no stories.


O Verão teria dito ao TV Fama que, na verdade, pretende ficar na cidade até o fim do ano, e que ele e a Primavera devem se encontrar muito por aqui. Entrevista vai ao ar hoje a noite.


A organização do Rock in Rio avisou em seu site oficial que “protetor solar e muita água são mais importantes que o chapéu cor de rosa para o show de Lady Gaga”.





Projeto do MBL pretende vestir obras de arte em museus ao redor do mundo



Após ajudar a encerrar, com um mês de antecedência, uma exposição com temática LGBT em Porto Alegre, o Movimento Brasil Livre agora planeja voos mais altos. Os manifestantes que visitaram o local da exposição no Rio Grande do Sul e assediaram verbalmente os visitantes, pretendem agora percorrer o mundo para vestir estátuas que representem o corpo nu. De acordo com o MBL, as obras devem ser “urgentemente cobertas para evitar o estímulo da depravação sexual”.


O projeto deve começar pelo Museu do Louvre, em Paris, e seguir para o Museu Metropolitano de Arte, em Nova York, já nesta semana. A confecção de peças de roupa sob medida para as obras estão a todo vapor.


“Estamos criando peças que vão de acordo com os valores pregados por nós. Sem decotes ou muita pele aparecendo, tudo muito conservador e respeitoso” diz um dos responsáveis por encabeçar o projeto.


Com as novas prioridades do MBL definidas, o Movimento deve mudar de nome nos próximos dias. A ideia inicial é que a sigla passe a ser MBLPV – Movimento Brasil Livre da Pouca Vergonha.





Após fechar exposição de arte, MBL prepara sua primeira fogueira de livros



Uma exposição com temática LGBT foi encerrada com um mês de antecedência em Porto Alegre após protestos de grupos de extrema direita, em especial de integrantes do MBL.


Segundo testemunhas, integrantes do MBL visitaram o local com frequência e assediaram verbalmente os visitantes. Nas redes sociais, fizeram forte campanha acusando a exposição “Queermuseu – cartografias da diferença na arte da brasileira”, que contava com obras de 85 artistas, de fazer apologia à zoofilia e à pedofilia com “dinheiro de leis de incentivo à cultura”.


O banco Santander, dono do espaço onde ocorria a exposição, resolveu ceder à pressão de Kim Kataguiri e sua turma e fechou as portas da galeria.


Animados, os membros do MBL querem colocar em prática outros itens de um livro escrito na Alemanha em 1925 por um pintor frustrado.


Eles planejam fazer sua primeira fogueira pública de livros em breve. “O banco Santander vai doar a gasolina”, escreveu o líder do MBL Renan Santos, o gênio empreendedor que responde a mais de 60 processos na Justiça e deve R$ 4,9 milhões em processos trabalhistas.


“Somos liberais, então nos inspiramos no livro de um grande autor chamado Ray Bradbury, o Fahrenheit 451”, disse Kim. “Vamos fazer nossa fogueira de livros a exatos 232 graus Celsius como aprendemos no livro. Era essa a mensagem, não?”


“Mas só depois da naninha da tarde”, completou. “Nossos papais Bolsonaro, Marchezan e Doria ficaram tão felizes que salvamos as crianças do Brasil da depravação da arte que nos deram passagens de avião para fazer protesto contra a Capela Sistina, que tem aquela foto depravada de Deus encostando o dedo num homem com o piruzinho para fora”, disse Kataguiri.


M Zorzanelli





Brasília sedia festa julina com fogueira de 2 metros feita com processos de Aécio arquivados

A cidade de Brasília vai sediar nesse sábado uma festa junina organizada por autoridades políticas. O evento promete acender uma fogueira de dois metros de altura queimando apenas processos contra Aécio Neves, arquivados no STF e no Senado nos últimos dias.


“Vai ser a maior fogueira já feita em uma festa de São João em Brasília. O próprio Aécio prometeu participar da festa e vai levar processos mais antigos para jogar na fogueira também”, dizia a nota oficial da organização do evento.


Para garantir que a fogueira não apague até o fim da festa, o presidente Michel Temer prometeu levar mais alguns processos a serem arquivos para “manter isso aí”, se referindo à fogueira e aos arquivamentos.



MAIS POSTS

Compartilhar

Escolha uma rede para compartilhar

Marcadores