arrow_back

Resultado da busca por: "lava jato"

Após sentir falta de Temer, brasileiro fica saudoso de Eduardo Cunha

COMPLEXO DE ESTOCOLMO – Após passar dois anos bradando “Volta, Temer!”, o brasileiro acordou atordoado diante da triste realidade de que também sentirá falta de Eduardo Cunha. A saudade – essa palavra bem brasileira, assim como o MDB – passou a bater forte no coração hoje pela manhã, depois que o novo presidente da Câmara, Arthur Lira, nomeou a deputada Bia Kicis para a CCJ e ameaçou colocar a pastora Floredelis, ré pela morte do marido, à frente da Secretaria da Mulher.



A saudade de Eduardo Cunha fez com que o MPF criasse uma força-tarefa de psicólogos em Curitiba, suprindo assim o vácuo deixado pela dissolução da força-tarefa curitibana da Lava Jato. “Nossa missão será desmontar o mecanismo que leva às cinco fases do luto, de forma que o brasileiro possa sentir repulsa do Arthur Lira sem precisar ter saudades do Cunha”, disse via apresentação de Powerpoint o terapeuta jurídico Lacan Dallagnol, estudioso do Complexo de Moro.


Cientistas comportamentais temem que essa nova mutação possa desencadear uma sequência desastrosa de eventos. Depois de Cunha e Temer viria a nostalgia da Era Sarney e dos anos Collor, seguida por lembranças boas de shows do Biquini Cavadão e assim infinitamente, até chegar à época de temperaturas amenas do Big Bang, o evento que marca a origem do universo. “Embora haja muita gente no Brasil que acredite que o universo tenha começado na ditadura”, comentou o procurador Lacan.


O post Após sentir falta de Temer, brasileiro fica saudoso de Eduardo Cunha apareceu primeiro em revista piauí.

Depois de emprego em empresa ligada à Odebrecht, Moro compra triplex desvalorizado no Guarujá

NEGÓCIOS & OPORTUNIDADES – “Era um desejo antigo da minha conje, senhora Rosângela Wolff Moro, de ter um apartamento na praia. E esse estava no mercado fazia um tempo, ninguém comprava, então por que não aproveitar?” A explicação foi dada nesta manhã pelo ex-juiz da Lava Jato, ex-ministro do governo Bolsonaro e ex-desempregado Sérgio Moro, para justifcar a compra de um tríplex no Guarujá. “O antigo proprietário me disse que o apartamento era bom, mas que poderia estar inventariado num processo no STF. Respondi a ele: ‘In Fux we trust!’, e já paguei a primeira parcela.”



A compra veio logo após o anúncio de que Moro vai assumir um alto cargo no escritório Alvarez & Marsal, que cuida da recuperação judicial da construtora Odebrecht, da OAS, da Queiroz Galvão e da Sete Brasil, todas investigadas na Operação Lava Jato. Há boatos de que o ex-juiz também pretende prestar consultoria para uma empresa de pedalinhos, além de comprar um lote de ações da Petrobras. “Prezado, eu não estou à venda, mas as ações estão”, disse Moro, ao ser perguntado sobre um possível conflito de interesse. “Não há motivos para pedidos de escusas. Situação normal. Segue o jogo.”


Fontes revelam que o próximo passo do escritório Alvarez & Marsal é a contratação do procurador Deltan Dallagnol para cuidar de contas ligadas à Microsoft, empresa que fabrica o software Powerpoint. “Eu pretendia investigar casos de corrupção, mas o ex-patrão do ex-ministro Moro disse que a corrupção no Brasil acabou”, lamentou Dallagnol.


O post Depois de emprego em empresa ligada à Odebrecht, Moro compra triplex desvalorizado no Guarujá apareceu primeiro em revista piauí.

Bolsonaro diz que a corrupção acabou mas amanhã tem mais

O presidente Jair Bolsonaro surpreendeu todo o país ontem ao afirmar que acabou com a corrupção no governo. De agora em diante, todas as negociatas com o Centrão terão que ser feitas no meio da rua, fora da sede do governo.


Toda a influência de seus filhos trambiqueiros que montaram um gabinete do ódio dentro do Palácio do Planalto para espalhar mentiras e calúnias também não existe.


Não existe o laranjal do PSL. Não existe o Queiroz. Não existe o ministro do Turismo investigado e acusado de tentativa de assassinato. Não existe a Wal do Açaí (que vai sair candidata a vereadora). Não existe o Fabio Wajngarten com relação promíscua com agência de publicidade. Não tem nada disso.


A corrupção acabou, mas amanhã tem mais.


Bolsonaro tem 89 mil motivos para acreditar que a corrupção acabou no país.


A esquerda, que já teve que defender o teto de gastos para evitar o populismo eleitoral de Bolsonaro, agora tem que defender a Lava Jato. Alguns petistas foram até vistos pedindo a prisão de Lula.








play_circle_filled play

JAIR MENTE, MAS DESSA VEZ ELE FOI LONGE DEMAIS! - GUSTAVO MENDES

Você acredita nisso? “Eu não vou acabar com a lava jato, eu já acabei com a lava jato porque acabou a corrupção no país” (Jair Messias Capiroto Birolilo Bolsonaro).
Desculpa, mas não dá pra passar em branco. Dessa vez o presidente foi longe demais em suas mentiras. E pior ainda há quem acredite e o defenda. Precisamos abrir nossa mente, há sempre tempo de se arrepender e mudar.

Checamos: Bolsonaro tem 89 mil motivos para dizer que acabou a corrupção no governo

O presidente Jair Bolsonaro surpreendeu todo o país ontem ao afirmar que acabou com a corrupção no governo. De agora em diante, todas as negociatas com o Centrão terão que ser feitas no meio da rua, fora da sede do governo.


Bolsonaro tem 89 mil motivos para acreditar que a corrupção acabou no país.


A esquerda, que já teve que defender o teto de gastos para evitar o populismo eleitoral de Bolsonaro, agora tem que defender a Lava Jato. Alguns petistas foram até vistos pedindo a prisão de Lula.



MAIS POSTS

Compartilhar

Escolha uma rede para compartilhar

Marcadores