arrow_back

Resultado da busca por: "FIFA e seus"

FIFA 17 – O futebol mudou (CONFIRA AS NOVIDADES DE FIFA 17)

fifa


A EA SPORTS revelou nesta segunda (06) que o Fifa 17 foi feito no motor gráfico Frosbite. Uma das principais engines da indústria de videogames, o Frostbite entrega autenticidade, ação realista, leva os fãs para novos mundos do futebol e apresenta aos jogadores toda a profundidade e emoção dos personagens. Para ver o anúncio completo do Fifa 17  feito na Frostbite, os fãs podem assistir à transmissão do EA PLAY no dia 12 de junho, às 17h (horário de Brasília) no site http://ea.com/play2016.


– A Frostbite abre um novo mundo de possibilidade para a franquia FIFA e seus fãs. Nós nunca estivemos tão empolgados quanto agora sobre o futuro do futebol e as experiências que serão entregues no Fifa 17 . – disse David Rutter, VP e Produtor Executivo.


O Fifa 17  também apresentou quatro novos embaixadores do futebol que influenciaram completamente a ação no campo. James Rodriguez do Real Madrid, Anthony Martial do Manchester United, Eden Hazard do Chelsea e Marco Reus do Borussia Dortmund são quatro craques do futebol mundial que são capazes de mudar qualquer partida.


Todos eles trabalharam com a EA SPORTS para trazer à vida a inovação no gameplay que será revelada no EA Play. Os embaixadores também aparecem na pré-venda do Fifa 17 como jogadores para empréstimo no Fifa 17  Ultimate Team™.


Os fãs que comprarem na pré-venda o Fifa 17  Edição Super Deluxe recebem 40 Pacotes FIFA Ultimate Team Jumbo Premium Gold, jogadores para empréstimo do Time da Semana e outros conteúdos do FUT.


CONFIRA O TRAILER OFICIAL DO GAME:



FIFA 17 é desenvolvido pela EA Vancouver e estará disponível no dia 27 de setembro no Origin PC, Xbox One, PlayStation 4, Xbox 360 e PlayStation 3.


*A tecnologia da engine Frostbite está disponível apenas nas versões das plataformas Xbox One, PlayStation 4 e PC.


Eu tô ANSIOSO PARA CARALOOOOO!!!




Tarde demais, Fenômeno

RicardoTeixeiraAndresSanchesRonaldo

RicardoTeixeiraAndresSanchesRonaldo

Recentemente, nosso um dia mais amado herói, responsável por carregar em suas costas todo o peso do orgulho de nossa redescoberta autoestima finalmente resolveu acordar para o quanto andava pisando em sua própria história e no amor que milhões, este que escreve incluso, o devotavam.

Sim, senhores, ele mesmo, Ronaldo Nazário, nosso Fenômeno, o indestrutível craque, jogador completo, capaz de atuar em qualquer posição que o colocassem do meio pra frente, dono de um domínio e controle de bola poucas vezes visto, rápido, de um raciocínio veloz como suas pernas, percebeu que andava dormindo e acordando com cobras e provando de seu veneno.

Antonio_del_Pollaiolo_-HerculeseaHidra(Ilustracao1tamanhocerto)

Ciente do quanto andou se contaminando com a imundície que cercou a preparação despreparada para a Copa da Fifa - hoje, infelizmente sabemos, aquilo nunca foi “do mundo”, mas de algumas dezenas de mafiosos, como muito bem lembrou o jornalista britânico Andrew Jennings em seus recentes livros sobre o futebol e a instituição -, o Fenômeno resolveu romper com o governo, respondeu ao Romário, se disse envergonhado com tudo que nossos (di)gestores nos fizeram, tirou foto ao lado do Aécio Neves.


Queria poder lhe dizer que isso é o suficiente, Ronaldo, que nossa admiração por você voltou com a mesma intensidade daquele já distante 2002, quando você resolveu ir reescrever o código samurai na terra dos próprios, e fez verter lágrimas daquele povo tão metálico, afiado e duro quanto suas espadas. Ensinou a eles o que é vencer ou morrer e não aceitar jamais a vergonha da derrota. Mas não dá.

Você se desonrou e nos levou junto, desgraçando-nos também em desonra, Fenômeno, quando começou a defender o indefensável visando a um dinheiro de que há muito não precisa. Desonrou e envergonhou seus mais ardorosos fãs quando cometeu aquela pérola da canalhice ao dizer que não precisa de hospital pra fazer Copa do Mundo. Claro que não, afinal a festa é pra vocês, podres e ricos, europeus de sangue, nascimento ou conta bancária.

RomarioPlenario(fotodoUOL-Ilustracao2)

Quando bandeaste pro lado de lá, entristeceu quem o tinha como modelo a ser seguido, aquele mesmo do herói que, não importa o tamanho da adversidade, enfrenta tudo e vence. Ou morre tentando. Acontece que você sobreviveu, doze anos se passaram desde aqueles gloriosos dias e o povo que você dizia amar tanto continuou na mesma vida de nenhuma perspectiva de futuro. Continuamos, ainda hoje, sob o império do conseguir o que comer amanhã. Apesar de alguns dos quais você até outro dia andava junto saírem apregoando não ser mais assim, pois os pobres já não são tão pobres, e 40 milhões agora estão na “classe média”, aquela mesma que pode arvorar-se de ter dado um passo além e evoluído às reservas pro próximo fim de semana.

Mas não foi só isso que nos levou a ter vergonha de um dia ter-lhe amado, Fenômeno, afinal você nunca candidatou-se a nada e, até onde sabemos, não superfaturou nem roubou. Envergonhamo-nos pura e simplesmente porque o senhor sabia, sim, o quão sujos eram os meandros e trâmites da Fifa e seus dirigentes, descobrimos por meio de sua proximidade com dom Ricardo Teixeira, de quem soubemos, chocados, ser você tão íntimo.

Infelizmente, nosso o herói morreu. E não foi em um ato final de auto-sacrifício digno de elevá-lo ao Olimpo ou numa batalha honrada o suficiente para abrir-lhe os portões de Valhalla. Não, nosso tragicômico (macunaímico?) herói que um dia fostes morreu porque foi engolido pelas urgências egoístas do jovem que viveu demais, envelheceu e tornou-se ele mesmo o vilão que um dia pensamos vê-lo combater. A indignação veio tarde demais, Ronaldo!

macunaima(UltimaIlustracao)

Rodivaldo Ribeiro é editor e escrevinhador dos sites Sedentário, Movier e do jornal Diário de Cuiabá.

O post Tarde demais, Fenômeno apareceu primeiro em Sedentário & Hiperativo.


MAIS POSTS

Compartilhar

Escolha uma rede para compartilhar

Marcadores