arrow_back

Resultado da busca por: "cinema"

Vídeo da reunião de Bolsonaro já foi arquivado na cinemateca de Regina Duarte

O fatídico vídeo da reunião ministerial de 22 de abril em que Bolsonaro dá um piti e manda Sérgio Moro trocar a chefia da PF para salvar seus filhos de investigações não está mais nas mãos de Celso de Mello.


O decano do STF estava pensando em esperar Bolsonaro gravar novos capítulos e depois liberar tudo de uma vez no Netflix. “Aprendi com minha bisneta, que adora essas coisas de tecnologia”, disse, apoiado numa bengala.


Mas o vídeo já foi parar na Cinemateca onde Regina Duarte foi continuar encenando que trabalha.


Regina Duarte foi demitida após ser criticada no papel de gado. Desempregada e desiludida, amigos dizem que Regina gastou seus 600 reais em pó de pum de palhaço.



Após Regina na Cinemateca, Bolsonaro estuda dar a Paulo Guedes agência da Caixa

FUNDOS PERDIDOS – “Olha, gente, deixa eu contar! Eu acabo de ganhar um presente que é o sonho na vida de qualquer pessoa da área de economia, de dinheiro, da escola de Chicago. É um convite pra ser bancário na agência da Caixa do Largo do Batata, lá em São Paulo. Vou ficar ali secretariando o governo, de dentro da agência. Obrigado, presidente!”



A declaração emocionada foi dada hoje pela manhã pelo ex-ministro da Economia Paulo Guedes, que foi promovido ao posto de assistente-júnior de bancário da Caixa Econômica Federal depois de fazer o dólar ultrapassar os 6 reais (o regime de contratação é de três meses, sem carteira assinada, sem plano de saúde, sem auxílio-emergencial – e eventualmente prorrogável por mais três, a depender da performance).


“O Paulo Guedes é que nem a Regina Duarte. O que ele mais quer é ajudar o Brasil. Se indo ali pra agência do Largo do Batata, do lado da Faria Lima, perto dos seus amigos, vai fazer ele produzir muito mais, eu fico feliz”, disse o presidente Jair Bolsonaro, antes de anunciar a nomeação do contador do Clube Militar, Mario Notas Frias, para o ministério. “E tem outra coisa, tá ok? Agora o Paulo Guedes vai finalmente meter a mão no dinheiro, que é a verdadeira função de um economista.”


O post Após Regina na Cinemateca, Bolsonaro estuda dar a Paulo Guedes agência da Caixa apareceu primeiro em revista piauí.

play_circle_filled play

HUMOR E HISTÓRIAS DA TV. GUSTAVO MENDES ENTREVISTA O DIRETOR MÁRCIO TRIGO.

Em um bate-papo super descontraído, Gustavo Mendes entrevista grande diretor de TV, teatro e cinema Marcio trigo. Histórias engraçadas, novos rumos para o humor no Brasil, estão entre as pautas dessa conversa deliciosa.

Como os atores da série de filmes “A Múmia” estão hoje?

A série de filmes A Múmia foi uma das mais lucrativas e famosas do cinema, motivo pelo qual contou com atores renomados. Eles estão assim hoje em dia.


Freddie Boath (Alex O’Connell)



Dwayne Johnson (O Escorpião Rei)




John Hannah (Jonathan Carnahan)



Oded Fehr (Ardeth Bay)



Alun Armstrong (Mr. Hafez)


Patricia Velasquez (Anck-su-namun)



Brendan Fraser (Rick O’Connell)



Jonathan Hyde (Dr. Allen Chamberlain)



Kevin J. O’Connor (Beni Gabor)



Rachel Weisz (Evelyn Carnahan)



Arnold Vosloo (Imhotep)


A Múmia


O post Como os atores da série de filmes “A Múmia” estão hoje? apareceu primeiro em O Macho Alpha.

A triste história de Carl Switzer, o Alfalfa, d’Os Batutinhas

Carl Switzer fez parte de uma das primeiras levas de atores do filme “Os Batutinhas” (Our Gang), iniciada em 1922.


A série surgiu da cabeça do diretor e produtor Hal Roach e era composta por filmes curtos estrelados por crianças, fórmula que fez muito sucesso no mundo inteiro.


Carl Switzer ingressou no Hal Roach Studios aos 7 anos de idade em 1934, interpretando Alfalfa e ganhando fama meteórica em muito pouco tempo, sendo uma grande estrela de cinema em Os Batutinhas num filme de 1935.


Carl Switzer


Existe uma história que conta que fãs cercavam Clark Gable em uma saída de estúdio de cinema para conseguir um autógrafo. Neste momento, Carl também saiu e foi engolido pelas fãs de Gable, deixando-o para trás sem nenhuma fã o adulando.


Apesar de tímido e desajeitado nas telas de cinema, Carl Switzer era bem diferente por trás das câmeras.


Por sua popularidade e regalias, ele não tinha limite algum. Os colegas de equipe sofriam na sua mão.


A atriz Darla Hood escreveu em suas memórias algumas das “brincadeiras” feitas por Alfalfa, esta foi uma delas: “certa vez ele colocou anzóis de pesca no bolso traseiro de seu colega Skip “Spanky” MacFarland, ao sentar Spanky se feriu e foi preciso levá-lo ao hospital para fazer alguns pontos.”.


 


Darla também disse que uma vez ele colocou uma navalha em seu bolso e disse para ela colocar a mão lá dentro, pois tinha um presente para ela.


Ela quase perdeu os dedos.


Carl também urinou em algumas lâmpadas do estúdio onde eles gravavam, quase incendiando o prédio onde eles gravavam ao serem acesas.


Havia também uma escola dentro do estúdio para que as crianças estudassem e nesta escola Carl era um dos que mais visitava a detenção por conta do seu péssimo comportamento.


O início da derrocada de Carl Switzer


Com o fim da série original de filmes acabando em 1940, todos os atores mirins do elenco tiveram dificuldades para conseguir novos papéis no cinema, Alfalfa estava no meio.


Sendo um adolescente de 13 anos com nem tanta graciosidade quanto tinha quando era pequeno, Carl fez o filme Nem Só os Pombos Arrulham (I Love You Again, 1940), estrelado por Myrna Loy e William Powell.


Ele também teve um papel de destaque em There’s One Born Every Minute (1942), atuando ao lado de ninguém menos que a estreante Elizabeth Taylor.


Carl e Elizabeth no filme There’s One Born Every Minute


Em 1942 Carl voltou a interpretar Alfalfa, desta vez no filme Ela Quer Ser Mulher (Johnny Doughboy), uma comédia estrelada por Jane Whinters que tinha também outros batutinhas no elenco, todos fazendo seus papéis originais.


Na década de 50 ele se mudou para o Kansas, atuando de forma apagada em filmes como Geleiras do Inferno (Island in the Sky, 1953) e Acorrentados (The Defiant Ones, 1958).


Carl em Geleiras do Inferno


Carl se casou com Diane Collingwood, uma moça muito rica, de família rica o suficiente para dar uma fazenda aos dois para eles viverem, mas o casamento não durou muito.


Carl Switzer bebia muito e costumava se enfiar em confusões, além de gastar mais do que recebia no seu trabalho de tratador de cães, 2 anos depois da sua separação.


No ano de 1958 ele foi preso sob a acusação de roubar árvores de um parque nacional para vender como árvores de Natal. Como os antigos filmes d’Os Batutinhas estavam sendo reprisados, rebatizados de “Little Rascals”, a notícia repercutiu bastante na imprensa.


Carl posando ao lado de uma foto sua quando criança para a Revista TV Guide


Ele perdeu um cachorro em 1959 e ofereceu uma recompensa de 35 dólares para quem o encontrasse. Bud Stillz, um conhecido de Carl, encontrou o animal, devolvendo-o a seu dono. Alfalfa não só pagou os 35 dólares a Bud, como gastou 15 dólares em bebidas para comemorarem.


No dia seguinte, em 21 de janeiro de 1959, Carl foi bêbado à casa de Stillz exigir que Stillz devolvesse seus 50 dólares.


Eles acabaram discutindo e Stillz puxou uma arma, atirando em Alfalfa. CarlSwitzer morreu no local, aos precoces 31 anos de idade. Bud Stillz alegou legítima defesa e, por este motivo, foi absolvido.


Em 2000, um enteado de Bud Stillz (morto em 1983) afirmou que a história não foi bem esta. Tom Corrigan, filho de Ray “Crash” Corrigan e enteado de Stillz, que tinha apenas 14 anos na época, afirmou que Carl não portava faca alguma. Segundo ele, o padrasto puxou a arma assim que Carl chegou.


Ele chegou a procurar a polícia, mas as autoridades ignoraram.


Segundo ele, as autoridades queriam encerrar logo o caso e como Carl era encrenqueiro, não foi difícil colocar a culpa nele.


A morte de Alfalfa foi pouco noticiada, pois neste mesmo dia morreu Cecil B. DeMille, cineasta diretor de Os Dez Mandamentos, filme em que Carl Switzer participou como figurante, sendo um escravo.


O post A triste história de Carl Switzer, o Alfalfa, d’Os Batutinhas apareceu primeiro em O Macho Alpha.

MAIS POSTS

Compartilhar

Escolha uma rede para compartilhar

Marcadores