Sensasionalista

Bolsonaro quer restringir o registro e a posse de retroescavadeiras

Depois que o senador licenciado Cid Gomes avançou sobre PMs amotinados em Sobral com uma retroescavadeira e levou dois tiros no peito, muitos milagres começaram a acontecer em Brasília.


Bolsonaro defendeu o direito à greve e os direitos humanos dos policiais. Autoridades do Vaticano já investigam se esses milagres não podem fazer com que Cid seja beatificado.


O presidente não gostou que os PMs encapuzados que mandaram fechar o comércio da cidade, furaram pneus de viaturas da Polícia Civil e participam de uma greve ilegal foram parados por um veículo de terraplanagem.


“Tem que dificultar o acesso à retroescavadeira, tenho aqui um monte de estudos que mostram que países que controlam o acesso têm menos mortes violentas”, disse Bolsonaro. “Até porque numa situação de assalto, por exemplo, até você ligar o motor da retroescavadeira, o bandido já te ganhou, tá ok? Mais retroescavadeiras não vão resolver o problema da violência no Brasil”.


Bolsonaro não quer retroescavadeiras, mas retrógrados poderão circular livremente.


Há quem diga que quando se achou que a democracia brasileira estava no fundo do poço, alguém aumentou o buraco com uma retroescavadeira.



3,5 milhões na fila do Bolsa Família deixam de pular Carnaval para pular linha da miséria

O governo Bolsonaro e de Paulo Guedes vem cortando o acesso de novas famílias ao Bolsa Família e também o recadastramento de famílias que já usam o benefício. Segundo reportagem do Estado de S Paulo, 3,5 milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade social estão na fila, o que já vem levando a rede de seguridade social de pequenos e médios municípios do país a entrar em colapso.


São pessoas que recebiam em média 200 reais por mês para comprar comida. Essas pessoas vão passar pelo incômodo de deixar de pular o Carnaval para pular por sobre a linha da pobreza extrema e voltar a passar fome.


Centenas de pessoas extremamente ricas há várias gerações comemoraram porque o mercado ficou feliz.


A sujeira de sua festa será limpa por faxineiros bisnetos de escravos.



Mulheres querem que governo faça campanha de abstinência de ofensa sexual

Jair Bolsonaro e sua família fazem campanha de difamação contra uma jornalista da Folha de S Paulo há quase uma semana, pegando carona no depoimento sem provas de uma fonte que a acusa de querer trocar informações por sexo.


O país pede que o o Ministério da Saúde lance uma campanha contra a difamação sexual infundada.


Um especialista em política disse que a família Bolsonaro deveria estar mais preocupada não com o furo que a jornalista deu sobre a rede de fake news por Whatsapp, mas com os furos que a PM da Bahia fez em estilo de execução no miliciano Adriano da Nóbrega após receber inteligência da PM do Rio – ex-Bope homenageado pelos Bolsonaro e cujos parentes foram empregados no gabinete de Flávio Bolsonaro, devolvendo 20% do salário ao Queiroz no esquema das rachadinhas até 2018.


A suspeita é que os ataques à jornalista não passem de cortina de fumaça. Fumaça da fritura de Moro, que parece planejar sua candidatura para 2022.



Bolsonaro deveria estar preocupado com furos no miliciano Adriano, diz especialista

Jair Bolsonaro e sua família fazem campanha de difamação contra uma jornalista da Folha de S Paulo há quase uma semana, pegando carona no depoimento sem provas de uma fonte que a acusa de querer trocar informações por sexo.


O país pede que o o Ministério da Saúde lance uma campanha contra a difamação sexual infundada.


Um especialista em política disse que a família Bolsonaro deveria estar mais preocupada não com o furo que a jornalista deu sobre a rede de fake news por Whatsapp, mas com os furos que a PM da Bahia fez em estilo de execução no miliciano Adriano da Nóbrega após receber inteligência da PM do Rio – ex-Bope homenageado pelos Bolsonaro e cujos parentes foram empregados no gabinete de Flávio Bolsonaro, devolvendo 20% do salário ao Queiroz no esquema das rachadinhas até 2018.


A suspeita é que os ataques à jornalista não passem de cortina de fumaça. Fumaça da fritura de Moro, que parece planejar sua candidatura para 2022.


 


 



Queiroz se esconde na greve dos petroleiros para não ser visto pela imprensa

A greve dos petroleiros entrou em seu 18º dia e você mal sabia. Parte dos funcionários da Petrobras parou depois do fechamento de uma subsidiária da estatal e já há o risco de desabastecimento.


Como a imprensa corporativa brasileira tem dificuldades em lidar com características da democracia como o direito à greve, os sindicatos não têm tido muito espaço na cobertura.


Foi por isso que Fabrício Queiroz, o homem dos milhões de reais que emprestou dinheiro à mulher de Bolsonaro, pagou tratamento no Einsten em dinheiro e ainda assim morava num barraco numa favela, foi se esconder para não ser incomodado.


“Depois que a greve acabar, vou para os vilarejos indígenas onde ativistas são agredidos e mortos”, disse.



MAIS POSTS

Compartilhar

Escolha uma rede para compartilhar