Rotina Tensa!

Pinturas em miniatura na caixa da lata

Pinturas em miniatura na caixa da lata por Remington Robinson


O artista pode se inspirar em momentos mundanos e criar arte em qualquer tela, e o tamanho nunca é um limite. E as latas Altoid vintage? Não digas mais nada! Usando pequenos pedaços de papel e uma paleta compacta de tinta, Remington Robinson pinta mini-pinturas a ar que poderiam caber no seu bolso.


Originalmente de Chagrin Falls, Ohio, Robinson se mudou para Boulder, Colorado, em 2004, seguindo sua paixão pela pintura de montanhas. Durante suas impressionantes escapadas para a natureza, ou para passear pela cidade, ele transfere terras e paisagens urbanas de tirar o fôlego para pequenas caixas sem perder sua glória e complexidade.


“Vi outra pessoa fazendo isso e gradualmente comecei a pintar coisas cada vez menores, até que eu disse ‘por que não?’ E comecei a fazer isso. Isso foi há cerca de 2,5 ou 3 anos”, disse o artista. Em pouco tempo, seu diário de viagem hipnotizante em miniatura ganhou 81 mil seguidores impressionados no Instagram.


Se você está tão empolgado com as obras de arte de Robinson quanto nós, pode se juntar a ele em uma aventura criativa pela sua dose diária de arte e inspiração minúsculas e belas.


Links: remingtonrobinson.com | Instagram | Facebook


Pinturas em miniatura da caixa da lata




















Muito mais aqui: remingtonrobinson.com | Instagram | Facebook


Baixe o nosso app oficial e veja mais postagens!

App Rotina Tensa


O post Pinturas em miniatura na caixa da lata apareceu primeiro em Rotina Tensa!.

Furtos em estações, um breve relato

Segue abaixo um caso chatinho que aconteceu comigo um dia desses…



São Paulo, quinta feira, 13 de fevereiro de 2020 – 18:20

Estação de trem CPTM Luz, plataforma da linha coral.

O trem para na plataforma e é aquele empurra empurra, pessoas desesperadas para entrar e sentar, enquanto avançava tentando não me envolver no tumulto sou jogado pra dentro do trem, nisso acabo segurando minha mochila para não esbarrar nas pessoas a frente e sinto o meu celular sendo puxado do meu bolso, me viro e a porta do trem esta fechando, “lascou”, pensei por um breve momento. Enquanto as pessoas falavam que era um vendedor ambulante que tinha furtado meu aparelho pensava em como faria pra recuperar o aparelho – pois tinha senha e não obstante dois apps de segurança, iria descer na estacão Brás pra proceder com a recuperação mas me falaram que o ambulante não tinha conseguido sair do trem, o procurei mas estava muito lotado e não obtive sucesso, desci no Tatuapé, achei uma rede wifi e comecei a rastrear o aparelho enquanto fazia aquele boletim online.

Aplicativo do Google “Encontre meu Aparelho” – Sem sucesso, aplicativo gringo LookOut security – Sem sucesso. Tentativas de localizar o aparelho sem sucesso. Assim que aceitei que havia perdido o aparelho para algum meliante começou a vir os questionamentos: Por que não havia um segurança sequer na plataforma? Pra que servem as câmeras na plataforma e nos trens sendo que eles ignoram os chamados e não deixam ver e identificar esse tipo de ocorrência? Como pode um aplicativo do Google falhar num momento tão crítico? O aparelho, embora de 2017, tinha configuração generosa e funcionava muito bem. O mais frustrante é que além do meu caso tenho noção entre mais 3 casos similares entre conhecidos (INCLUINDO UM NO MESMO DIA!). Ficam esses questionamentos e vou pontuar item por item, começando pelos apps de segurança.



Os apps:

Como que ainda não existe um aplicativo de segurança que funcione realmente bem? O que impede o google de invalidar um aparelho que foi considerado furtado? Talvez porque manter assim seja lucrativo? O lookout reclama que a versão que eu usava era grátis e por conta disso é só chorar pelo leite derramado (deram a localização que segue abaixo mas pelo horário apresentado decidi não ir atrás).



CPTM:

O que é preciso fazer para se ter as gravações? Como que permitem um horário de pico sem segurança nas plataformas? Como que não tem um segurança no trem sequer? Como permitem aquele caos em horários de pico sem nenhum tipo de controle?


Boletim online e operadora:

Após ter feito o boletim fui atrás de uma loja da operadora para solicitar o bloqueio do chip antigo e pegar um novo, pretendia manter o mesmo número, o funcionário da loja me entregou um chip e informou que o chip antigo seria cancelado, entrei em contato com a operadora após algumas horas e o chip antigo continuava ativo! Solicitei a suspensão e a ativação do novo chip, pediram para aguardar 2 horas. Após as 2 horas nada de número ativado e entrei em contato com a operadora e informaram que o chip novo não estava cadastrado e não podiam fazer o cadastramento por telefone! Eu teria que ir a loja (difícil entrando no trabalho as 9h e a loja fica dentro de um shopping que abre as 10h!) Tentei entrar em

contato com a operadora pelos canais de contato mas não obtive sucesso, após muita insistência consegui falar com eles, não poderiam fazer nada a não ser mandar outro chip que chegaria até sábado. Na noite de sexta entregaram o chip mas o estresse e o desgaste já tinha me chateado por demais.


Disso tudo vejo algumas situações complicadas: Como uma estação de transporte público não tem o mínimo de segurança necessária para que os passageiros possam viajar sem ter seus pertences furtados? Como pode os trens serem tão lotados no horário de pico sendo que a passagem só aumenta cada vez mais, pra onde vai esse dinheiro? Espalham diversos anúncios proibindo o comercio ambulante justamente porque ladrões se infiltram mas não tem um segurança a paisana pra manter as coisas em ordem?


Esse tipo de coisa me instiga a entrar com um processo contra a CTPM e talvez contra o (Des)governo do estado de São Paulo. A situação é cada vez pior, nada muda e não vejo eles fazerem o menor esforço para mudar isso.

A ideia de entrar com um processo é com base nessas notícias:

CPTM condenada a indenizar passageiro por superlotação em trem

Vítimas de roubos no metrô podem pedir indenização


Antes de concluir manifesto o agradecimento a cerca de 2 ou 3 passageiros que viram mas ficaram com medo de apontar na hora, informaram que o ladrão estava dentro do trem e estava “vendendo água” mas não consegui alcançar o meliante…


O post Furtos em estações, um breve relato apareceu primeiro em Rotina Tensa!.

MAIS POSTS

Compartilhar

Escolha uma rede para compartilhar